Brasil. Pistolas de água proibidas no Carnaval de Salvador para evitar machismo

No último carnaval, uma mulher foi agredida por foliões do tradicional bloco "As Muquiranas", cujos integrantes vestem-se de mulher.

 0  2105
Brasil. Pistolas de água proibidas no Carnaval de Salvador para evitar machismo
Brasil. Pistolas de água proibidas no Carnaval de Salvador para evitar machismo

As pistolas de água serão proibidas durante o Carnaval da cidade brasileira de Salvador para garantir a segurança das mulheres e evitar agressões, anunciou o Governo do estado nordestino.

Aprovada pelo governador do estado da Bahia, Jerónimo Rodrigues, a medida já tinha sido aprovada pela Assembleia Legislativa em junho do ano passado, depois de ter sido noticiado o caso de uma mulher que foi agredida durante o Carnaval de 2023 em Salvador, a capital regional, e que acolhe um dos mais famosos Carnavais do Brasil.

No último Carnaval uma mulher foi agredida por foliões do tradicional bloco "As Muquiranas", cujos integrantes vestem-se de mulher.

A mulher foi cercada, empurrada várias vezes e atingida por jatos de água.

Embora a pistola de água não fizesse parte do traje, o seu uso é comum entre estes foliões.

"A gente acredita na prevenção e na sensibilização das pessoas para acabar com esse tipo de violência machista e misógina dentro do nosso Carnaval, que é uma festa linda e o mundo ama", disse a secretária regional de Políticas para as Mulheres, Elisângela Araújo, em comunicado.

Durante as comemorações deste ano, as pessoas que portarem pistolas de água não serão multadas, mas terão que entregá-las aos policias que controlarão o acesso aos desfiles.

Apesar de ser um brinquedo, várias associações feministas exigiram a sua proibição porque foi utilizado em vários casos para agredir mulheres durante as festividades.

A proibição estará em vigor em todo o estado da Bahia, que organiza festas populares de Carnaval nas cidades de Salvador, Porto Seguro e Maragogipe.