Roma ganha sem Mourinho, Maignan alvo de atos racistas

Em reação ao incidente verificado com Maignan, a Liga italiana reagiu já durante a partida, tendo, em mensagem na sua conta do 'X', deixado: "A LIGA SERIE CONDENA TODA A FORMA DE RACISMO".

 0  2520
Roma ganha sem Mourinho, Maignan alvo de atos racistas
Roma ganha sem Mourinho, Maignan alvo de atos racistas

A Roma venceu o seu primeiro jogo sem José Mourinho, num dia marcado pelos atos racistas de adeptos da Udinese para com o guarda-redes francês Mike Maignan do AC Milan, em jogos da Liga italiana de futebol.

Apesar do triunfo, ainda persistiram alguns assobios para a equipa orientada por Daniele De Rossi, embora mais destinados à direção do clube romano, num dia em que a Roma contou com o guarda-redes luso Rui Patrício ao longo dos 90 minutos, enquanto João Costa se manteve no banco na vitória por 2-1 sobre o Verona.

Perante cerca de 60.000 adeptos no Olímpico de Roma, o primeiro golo demorou 19 minutos para aparecer, através do belga Romelu Lukaku, o primeiro golo desde 23 de dezembro, tendo, seis minutos mais tarde, o capitão Lorenzo Pellegrini, um dos jogadores mais criticados pelos 'tifosi' romanos, ampliado a contagem.

No entanto, a exemplo do que sucedia na 'era' Mourinho, a equipa mostrou uma face completamente diferente na segunda parte, tendo sido completamente dominada a partir dos 76 minutos, quando sofreu o golo de Michael Folorunsho, num lance em que Rui Patrício poderia ter feito muito melhor.

Em Udine, o encontro esteve interrompido vários minutos desde os 34 minutos, altura em que o internacional francês Mike Maignan abandonou o recinto de jogo em sinal de protesto com os insultos racistas que vinha recebendo das bancadas, já depois de ter alertado o árbitro do encontro, tendo sido seguido pelos seus companheiros de equipa.

Através das instalações sonoras do estádio foi pedido aos adeptos da Udinese que parassem com os insultos e, quatro minutos depois, ainda com alguns jogadores da equipa anfitriã a pedirem explicações aos seus próprios seguidores, Maignan e os seus companheiros regressaram ao campo, tendo o árbitro reiniciado a partida, mas alertado que interromperia a mesma em definitivo se os insultos retomassem.

O AC Milan, que na altura vencia por 1-0, golo de Ruben Loftus-Cheek, aos 31, acabou por triunfar por 3-2, com os golos do triunfo a surgirem na reta final, por Luka Jovic, antigo jogador do Benfica, aos 83, e por Okafor, aos 90+3, numa nova reviravolta no marcador, depois de a Udinese ter virado uma primeira vez, com golos de Samardzic, aos 42, e de Thauvin, aos 62.

Rafael Leão foi titular no AC Milan, tendo sido substituído aos 90+3, enquanto João Ferreira cumpriu os 90 minutos pela equipa de Udine.

Ainda em reação ao incidente verificado com Maignan, a Liga italiana reagiu já durante a partida, tendo, em mensagem na sua conta do 'X', deixado: "A LIGA SERIE CONDENA TODA A FORMA DE RACISMO".