Brasil em alerta devido ao aumento de casos de dengue

Os efeitos do fenómeno promovem uma elevação da temperatura nas Américas, o que acaba por facilitar a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti, transmissores da dengue.

 0  2143
Brasil em alerta devido ao aumento de casos de dengue
Brasil em alerta devido ao aumento de casos de dengue

O Ministério da Saúde do Brasil informou esta sexta-feira que o país está em alerta devido ao aumento de casos de dengue, tendo sido registados 12 mortos e 120.874 casos prováveis nas três primeiras semanas do ano.

Em 2023, o Brasil registou mais de 1,6 milhões de casos da doença, mais de um quinto de todos os notificados no mundo, e 1.094 mortes, um recorde histórico.

Governo brasileiro divulgou a lista de cidades que vão receber a vacina contra a dengue. Ao todo, foram incluídas cerca de 500 cidades em 16 estados para a imunização, que num primeiro momento deverá dar prioridade a crianças e adolescentes com idade de 10 anos a 14 anos por estarem entre o público com maior número de internações pela doença.

O país prevê receber até 6,2 milhões de doses de uma vacina japonesa contra a dengue em 2024. Porém, por se tratar de uma vacinação que requer duas doses de vacina, esse valor abrange apenas 3,1 milhões de pessoas e é insuficiente para enfrentar a atual explosão de casos.

Num comunicado sobre a vacinação pública contra a dengue, que começará no país em fevereiro, o ministério explicou que, no período das chuvas e das altas temperaturas e diante do alerta emitido pela Organização Mundial da Saúde sobre o aumento das arboviroses em razão das mudanças climáticas ocasionadas pelo fenómeno meteorológico El Niño, vai coordenar uma série de atividades preparatórias para a sazonalidade de dengue em 2024.

O El Niño ocorre em média a cada dois a sete anos e é um fenómeno climático natural associado ao aumento das temperaturas da superfície no centro e leste do Oceano Pacífico tropical, mas que tem efeitos em todo o mundo.

Os efeitos do fenómeno promovem uma elevação da temperatura nas Américas, o que acaba por facilitar a proliferação dos mosquitos Aedes aegypti, transmissores da dengue.